POEMAS DE RATOS (uma série)

Uma poeta se debulha esperando Isadora Duncan

Eu vi a uva
vi o vinho
eu vi
a uva no vinho
o vinho na unha
o vinho ...
eu vi no sangue
a uva, o vinho
o beijo da lágrima
eu vi
Alôôôô
te amo como não
te quero como não
te uso como não
te sonho como não
como não te amo
como não te quero
como não te abuso
como não te sonho


o des-carnado

2 comentários:

jupyhollanda disse...

ela é vermelha...
ela é branca...
ela é azul...
ela é a poeta que espera Isadora Duncan...

Bjos
:***

maristotelica.blogspot disse...

QUANDO FOI QUE VOCE CONHECEU ISADORA DUNCAN tÃO DE PERTO...ESSA É A QUESTÃO!
Ela ainda irá ser tão transparente, sucinta e quiçá, bela como o teu poema!
Todo carinho na ponta da unha na uva de sangue que tu me viu beber!
Mari