POEMAS DE RATOS (uma série)

Um poeta para lá de alto chegando em um noite chuvosa ao beco



via uma parede
a lua, a chuva,
uma sombra

a noite
um homem, a chuva
escorria lambendo becos
esgotos, falas, cacos
de vidro, aqui, lá
uma parede, um homem
a sombra balançava
a lua, chuvia, a noiva
descansava em um carro
as nuvens se moviam
o relógio girava
e lá
uma parede, a sombra
o homem balançava
a luz pingava dos postes
e ele
o poeta sob a chuva


o des-carnado

2 comentários:

Sachêt de poesia disse...

amo seus poemas des-carnado!!!

continue sempre, faça chuva ou faça sol...

bjos
Juju

jupyhollanda disse...

Quem é esse? Não reconheci...

=p

Bjs